Bem-vindo à Missão Verde

A Missão Verde é o blog da Casa Agrícola da Levada, onde pode acompanhar os nossos passos para nos tornarmos uma unidade turística cada vez mais sustentável.

Café de Balão

Convite a desacelerar na Casa Agrícola da Levada… prepare Café de Balão!

Comece por escolher o aroma do seu café: 
Arábica  mais aromático, mais suave e com cerca de 1,7% de Cafeína
Robustos, mais denso, amargo e com quase o dobro da cafeína.
Para completar a experiência, prepare o seu próprio lote: o lote Levada tem 80% de Arábica e 20% de Robustos, já o lote Camões tem 50% de cada – e o seu?

1. Coloque duas colheres de café bem moído no balão superior
2. Preencha com 1/2 de água o balão inferior
3. Acenda o pavio da lamparina de álcool desnaturado (azul) e coloque por debaixo do balão com água.
4. Ao aquecer, a água sobe e mistura-se com o café.
5. Quando a totalidade da água tiver subido retire a lamparina, misture o café e a água com uma colher de pau e espere.
6. Ao arrefecer, o café desce para o balão inferior
7. Separe os dois balões e sirva acompanhado por uma crista de galo e uma boa lareira!

A nossa horta

Biológica, em permacultura e seguindo os princípios da agricultura biodinâmica – aqui fica um pequeno resumo da nossa nova horta!

Compostagem 2020

Na Casa Agrícola da Levada utilizamos composto para a repor o equilíbrio ecológico, melhorar a saúde do solo e plantas e aumentar o valor nutricional dos alimentos.
Compostar significa degradar – de forma natural ou de uma maneira assistida – matéria orgânica de modo a tornar-se húmus (adubo). Todos os resíduos orgânicos deixados sobre o solo sofrem um processo natural de degradação, uma compostagem natural. A compostagem em pilha acelera e melhora esse processo.

Para uma compostagem se realizar em boas condições terão de estar presentes cinco  elementos: matéria sólida (Terra), humidade (Água), porosidades (Ar) e fermentação (Calor). 
O  quinto elemento, o Amor que lhe dedicamos, é o mais importante de todos. 

A pilha deve estar em contacto direto com o  solo, num local plano, com boa drenagem – para não acumular água – parcialmente à sombra de árvores ou arbustos – para evitar secagem da pilha – mas longe de árvores para as raízes não se alimentarem dele, numa orientação Norte/Sul para distribuir a Luz e o Calor de maneira equilibrada.

Uma boa pilha de composto não deve ter mais de 2 m de largura e até 1,50 m de altura para evitar compactamento.
Comece por colocar paus, ramos de árvores ou talos grossos para um bom arejamento.
Seguidamente, coloque resíduos orgânicos, de preferência biológicos. Estrume é importante para uma boa compostagem pois é a sua maior fonte de  azoto.  
A palha, folhas mortas, resíduos  florestais e de um modo geral todas as  plantas maduras e secas são ricas em carbono. O estrume animal e  plantas jovens e verdes são ricas em azoto. 
É importante incorporar na pilha 30 vezes mais de matérias carbonadas (folhas, madeira triturada) que matérias azotadas (estrume animal e plantas verdes e  frescas). 

O composto deve ser coberto  por uma matéria natural (palha, aparas de  relva, terra, cartão) de modo a criar uma pele. O composto é um organismo vivo e, como  qualquer outro organismo, necessita de uma  pele; deve haver um interior e um exterior.

O processo de decomposição através da técnica em pilha pode demorar entre 6 a 12 meses a produzir húmus. O composto de matéria apenas vegetal também dá bons resultados, mas o processo é mais lento (12 a 16 meses). O composto feito apenas com folhas de árvores pode demorar até 36 meses.Sabemos que o composto está pronto quando quase não reconhecemos os ingredientes do início.

Nunca juntar alimentos cozinhados. 
Cascas de ovo, borra de café são uma excelente fonte de nitrogénio.
Casca de cebola e alho, acidificam o pH da terra, prejudicando o trabalho das minhocas – que são as responsáveis por transformar os resíduos em adubo.
Cascas de citrino e de bananas, dado o elevado grau de antibióticos que contêm, não devem ser  incorporados no composto.

Relva e ervas com semente devem  ser colocadas primeiro dentro de água (durante cerca de uma semana) e só  depois adicionadas ao composto para que as sementes não se desenvolvam na pilha e contaminem os terrenos onde o  composto irá ser aplicado.

A pilha deve manter-se sempre húmida. Em tempo seco é necessário regar.

Figos com Vinho do Porto

Se gostaram das dicas para conservar o tomate, experimentem esta receita com figos – são uma tentação!

Note por favor: É essencial saber esterilizar os frascos. Neste passo-a-passo poderá ver como se esterilizam frascos de forma rápida e simples, garantindo a preservação e a durabilidade dos seus produtos.

Vai precisar de:
Esponja
Forno
Pano de cozinha
Tacho
Pinça
Frascos com tampa

1.Lave bem os frascos de vidro em água quente, com uma esponja e detergente para a louça. Deixe-os a escorrer num pano de cozinha lavado.
2. Coloque uma panela ao lume e ferva as tampas e as borrachas dos frascos durante 10 mins. Retire as tampas e coloque a escorrer usando a pinça.
3. Coloque os frascos no forno 10 minutos a 180º C.
4. Retire os frascos do forno usando a pinça e coloque de imediato os doces ou as compotas, ainda quentes, que pretende armazenar. Não encha totalmente os frascos. Feche com as respetivas tampas.
5. Coloque os frascos de “cabeça para baixo” e cubra com um cobertor opaco durante a noite.
6. Arrume num local escuro até 6 meses.

Ficou com dúvidas? contacte-nos para o email casadalevada@gmail.com

Conservas muito fáceis!

Este ano graças à nossa nova horta em permacultura tivemos grande abundância de legumes e verduras!
O tomate cherry deu-se especialmente bem e é muito importante conservar o que não conseguimos consumir no imediato, para evitar desperdício.

Note por favor: É essencial saber esterilizar os frascos. Neste passo-a-passo poderá ver como se esterilizam frascos de forma rápida e simples, garantindo a preservação e a durabilidade dos seus produtos.

Vai precisar de:
Esponja
Forno
Pano de cozinha
Tacho
Pinça
Frascos com tampa

1.Lave bem os frascos de vidro em água quente, com uma esponja e detergente para a louça. Deixe-os a escorrer num pano de cozinha lavado.
2. Coloque uma panela ao lume e ferva as tampas e as borrachas dos frascos durante 10 mins. Retire as tampas e coloque a escorrer usando a pinça.
3. Coloque os frascos no forno 10 minutos a 180º C.
4. Retire os frascos do forno usando a pinça e coloque de imediato os doces ou as compotas, ainda quentes, que pretende armazenar. Não encha totalmente os frascos. Feche com as respetivas tampas.
5. Coloque os frascos de “cabeça para baixo” e cubra com um cobertor opaco durante a noite.
6. Arrume num local escuro até 6 meses.

Ficou com dúvidas? contacte-nos para o email casadalevada@gmail.com

Quanto CO2 capturam as nossas árvores?

Com os seus quase 7 hectares aconchegados entre o Vale do Douro e Parque Natural do Alvão, a Levada é o maior espaço verde privado no circuito urbano de Vila Real. Em 2019, a nossa atividade emitiu 19 332 toneladas de CO2 o que, deduzido à generosa captura pelas nossas árvores de cerca de 80 000 toneladas anuais, faz com que sejamos um território carbono negativo
Saiba mais no Passaporte Ecológico.

Clean & Safe

Implementámos as normas de funcionamento e limpeza recomendadas pela DGS, para segurança dos nossos convidados e colaboradores.

Pickles de beterraba, cenoura e/ou couve-flor

Ingredientes

  • Cenoura, beterraba e/ou couve-flor, cortada em palitos ou rodelas
  • Vinagre de cidra
  • Especiarias (cravinho, pimenta em grão, mostarda em grão, coentros em grão, ou outras)
  • Açúcar
  • Sal

Escaldar os vegetais durante 5 minutos. Reservar a água.

Noutra panela, aquecer o vinagre com as especiarias para infundir, o sal e o açúcar, até dissolverem.

Esterilizar os frascos.

Nos frascos esterilizados, colocar as rodelas ou palitos dos vegetais.

Verter por cima a mistura de vinagre com especiarias, até ao topo do frasco. Se não for suficiente, usar um pouco da água de escaldar os vegetais.

Guardar num local fresco e seco.

Horta 2020

Na Casa Agrícola da Levada investimos grande parte dos nossos recursos a tratar os 6,7 hectares de jardim, hortas, pomar, vinha e floresta da Levada.  Há mais de 10 anos que não usamos adubos químicos, utilizando apenas fertilizante biológico proveniente da nossa compostagem. A biodiversidade  é promovida plantado flores e frutos que ajudam a alimentar as abelhas, insetos, aves e outros agentes que contribuem na polinização e no controlo de pragas. Por agora, cerca de 40% dos produtos consumidos vêm da nossas hortas e pomares – um número que com as expansões promovidas este ano, irá subir!